domingo, 14 de dezembro de 2014

O Patinho Feio

Imagens/vídeos:



 



Informação: Provavelmente o mais marcante desenho animado da Neptuno Films que os portugueses puderam ver, este O Patinho Feio era um divertido e belo programa cujas personagens esbanjavam carisma. Pegando numa história tão "redonda", vá, como a do patinho feio, os autores deste programa usavam bem a imaginação para criar personagens animadas e aventuras interessantes para o nosso patinho feio e os seus amigos. Mas vamos por partes...para início de conversa, o desenho animado nem começava com o patinho feio; começava com um animal que tocava guitarra, chamado Marcolino, que tinha a seu lado um grupo de animais pequenos que queria ouvir as histórias dele. Escusado será dizer que a história que o Marcolino mais contava era a do patinho feio, mas contava-a aos bocadinhos, qual princesa Sheherazade. Às vezes, também cantavam canções, mas geralmente os pequenos gostavam mais era de ouvir a saga do Feio (que era o nome que deram ao patinho feio).

Dentro da história, o Feio vivia numa espécie de quinta, ao pé de um bosque, com vários habitantes de uma sociedade consideravelmente organizada. Vivia com os seus pais e irmãos e tinha "tios" que não eram bem tios; digamos que mais facilmente seriam os seus padrinhos. Os tios em questão eram o galo Mariano e a sua mulher. Ambos carismáticos, Mariano era um galo que tinha dificuldade em acordar para cantar e acordar a quinta, pelo que a sua mulher costumava acordar mais cedo que ele e acordá-lo para ele cantar. Só que o Mariano tinha um sono pesado, o que levava a que a mulher tivesse de gritar a plenos pulmões: "MARIANO!!!". E só então ele acordava, sobressaltado. O Feio tinha ainda o seu melhor amigo Nico, um porco gordinho e alegre, e o seu interesse amoroso, a patinha Patty, que sempre gostou do Feio independentemente do seu aspecto exterior. Outros habitantes da quinta eram o pai do Nico, um boi, o coelho Cândido e a tartaruga macho Fitibaldi. Este último era um pouco uma piada recorrente neste programa, porque o Fitibaldi gostava de combater a sua condição de tartaruga com um motor instalado na sua carapaça. O problema é que o motor quase nunca funcionava bem e aconteciam muitas trapalhadas por causa disso! Havia ainda uma ou outra personagem secundária que aparecia só num ou dois episódios. No geral, o céu era o limite; neste programa podiam aparecer super-heróis maus, jogos de vídeo falantes, plantas carnívoras, bruxas...e só escolher!

Depois, existiam os vilões do costume. Duas raposas macho mal intencionadas que não olhavam a meios para atingir os seus fins. Eram uma dupla curiosa, pois até eram capazes de conviver com os habitantes da quinta de vez em quando desde que eles ignorassem as maldades que eles já tinham feito. Um bocado como o Goma e o Cola de A Loja do Noddy. À parte disto, uma das raposas era o chefe e a outra era o ajudante burro. Clássico! Naturalmente, o chefe arquitectava os planos e o ajudante tentava ajudar a levá-los a cabo...mas acabava por estragar tudo. Se bem que o chefe também não era uma inteligência por aí além; lembro-me de um episódio em que eles tinham dinheiro e o chefe mandou o trapalhão à cidade para investir o dinheiro. Se não me falha a memória, o trapalhão foi a um banco, onde, logicamente, lhe depositaram o dinheiro e lhe deram um talão. O trapalhão ficou sem perceber o que tinha acontecido e foi falar com o chefe. Ele perguntou-lhe o que tinha feito ao dinheiro e ele explicou que o tinha dado a um homem e "Ele deu-me isto!". O chefe barafustou: "Um papel?!" e, num acesso de raiva, rasgou o talão todo. Freaking genius!... suponho que já sabem o que aconteceu a seguir; eles voltaram ao banco e pediram o dinheiro de volta, mas o homem disse-lhes que sem talão não havia dinheiro.

Alguns episódios

- Os habitantes do bosque decidem fazer uma animada corrida a pares no bosque. Cada par usa o seu veículo como bem entender, desde que joguem limpo. Mas, claro, as duas raposas também vêm competir e preferem tentar fazer batota. Coisa que fazem durante algum tempo. Mas acabam por se dar mal. Entretanto, os outros concorrentes jogam limpo e tentam vencer os obstáculos para chegar ao final. Quando a corrida está perto do fim, sem que nada o faça prever...o Fitibaldi e o Cândido passam a meta e ganham a corrida! É uma coisa completamente inesperada, até porque eles só apareciam de vez em quando na corrida e sempre com dificuldades em controlar a velocidade do Fitibaldi. Quando ganham, é mesmo uma surpresa, pois até parece que não foi feita justiça ao Feio e ao Nico, que tanto padeceram com a batota das raposas. Mas eis que um deles (acho que foi o Fitibaldi) agradece o troféu, mas diz que o vai dar aos "verdadeiros vencedores", o Nico e o Feio, pela sua dedicação e entrega! Pois é...neste episódio, os nuestros hermanos enganaram-nos bem, fazendo-nos crer por momentos que o karma não existia n'O Patinho Feio...

- O Nico encontra uma espécie de jogo de vídeo com um anfitrião amarelo que fala. Todo entretido a jogar o tal jogo, o pobre Nico não se apercebe que, de cada vez que ele perde, parte do bosque onde os nossos amigos vivem desaparece! Quando ele percebe isto, tenta reparar a situação jogando para recuperar o bosque...mas perde! Eis que o bosque está quase a desaparecer por completo e o anfitrião, maquiavélico, diz que lhes devolve o bosque se o Nico ganhar a seguir. Ele pergunta o que acontece se ele perder e a voz robotizada responde friamente: "Nesse caso, todo o bosque desaparecerá!". O Nico tem juízo e diz que não vai arriscar perder o pouco bosque que resta por causa de um jogo. Mas o anfitrião insiste: "Joga!". O Nico repete que não. O anfitrião tenta então hipnotizá-lo ("Joga!"), mas o Nico zanga-se a sério e grita "Nunca!". Dito isto, atira o jogo de vídeo contra uma árvore ou pedra qualquer. Passado pouco tempo, o bosque reaparece e tudo volta ao normal. Graças ao juízo e à vontade de ferro do Nico!

- Ainda cheguei a ver o episódio final. Tal como na história original, o nosso Feio descansa numa gruta e as suas penas começam a mudar, transformando-se num belo cisne. Pouco tempo depois, ele e a Patty têm filhos e os seus amigos reúnem-se para os ver sair do ovo. E, surpresa, o quarto filho sai...um patinho feio! O Feio e a Patty riem-se e abraçam-se. E é basicamente isto.

Uma(s) voz(es): Clara Nogueira; João Cardoso; Jorge Vasques; Raquel Rosmaninho; Rui Oliveira; Sissa Afonso; Zélia Santos

Uma(s) personagem(ns): Cândido; Feio; Fitibaldi; Kiki; Marcolino; Mariano; Nico; Patty

Genérico: Desconhecido

Sem comentários:

Enviar um comentário